Seu Portal de Notícias de Rondônia

Quarta-feira, 22 de Maio de 2024
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia

Esporte

Daniel Alves: Ministério Público da Espanha recorre de decisão que possibilita liberdade provisória

Daniel Alves: Ministério Público da Espanha recorre de decisão que possibilita liberdade provisória

ILIDIO LOPES
Por ILIDIO LOPES
Daniel Alves: Ministério Público da Espanha recorre de decisão que possibilita liberdade provisória
Foto: Alberto Estevez/Reuters
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
Julgamento de Daniel Alves — Foto: Alberto Estevez/Reuters

Julgamento de Daniel Alves — Foto: Alberto Estevez/Reuters

 

O Ministério Público de Barcelona recorreu da decisão da Justiça que possibilita que o ex-jogador Daniel Alves fique em liberdade provisória mediante ao pagamento de uma fiança de 1 milhão de euros.

Publicidade

Leia Também:

Em recurso apresentado na sexta-feira (22), promotores de Barcelona argumentaram que existe o risco de fuga e reforçou que Daniel Alves foi condenado a uma pena de prisão de quatro anos e seis meses.

A Justiça da Espanha aceitou um pedido de liberdade provisória da defesa do jogador, na quarta-feira (20). No entanto, a Corte determinou o pagamento da fiança. Até agora, Daniel Alves não pagou o valor e deve permanecer o fim de semana preso.

Os juízes que analisaram o pedido entenderam que não há mais risco de fuga de Daniel Alves ou de repetição do crime. Por outro lado, os passaportes dele devem ser recolhidos.

Além disso, a sentença determinou que:

 

  • o ex-jogador fique a pelo menos 1 quilômetro de distância da residência da vítima, do local de trabalho dela ou de qualquer outro lugar frequentado pela mulher, que vive em Barcelona;
  • Daniel Alves está impedido de tentar se comunicar com a vítima por qualquer meio;
  • ele não pode deixar a Espanha;
  • o ex-jogador compareça semanalmente ao Tribunal de Barcelona ou quantas vezes lhe for solicitado.

 

A advogada de defesa da vítima, Ester García, disse ter ficado "surpresa e indignada" com a decisão da Justiça.

 

Condenação

 

Daniel Alves foi condenado, em fevereiro, a quatro anos e seis meses de prisão por estupro. Durante o julgamento, que durou três dias, o ex-jogador negou a agressão sexual e disse que houve relação consensual.

No entanto, para o tribunal, ficou comprovado que a vítima não consentiu e que existem elementos, além do testemunho da denunciante, para considerar provada a violação.

Além da pena de prisão, a Justiça também determinou:

 

  • pena de liberdade supervisionada por cinco anos, e nove anos de afastamento da vítima após o tempo na prisão;
  • indenização de 150 mil euros (cerca de R$ 804 mil) à vítima por danos moral e físico, além de arcar com as custas do processo;
  • multa de 9 mil euros (cerca de R$ 48 mil), em 150 euros diários durante dois meses, pelo delito de lesão corporal leve.

Desde o início do processo, Daniel Alves apresentou versões diferentes sobre o caso. Veja abaixo:

 

  1. No início de janeiro de 2023, em um vídeo enviado ao canal espanhol Antena 3 depois que o caso veio a público, o jogador negou ter ocorrido relação sexual e disse que sequer conhecia a denunciante. "Nunca vi essa senhora na vida", afirmou.
  2. Dias depois, em um primeiro depoimento à polícia, Daniel Alves declarou ter entrado no banheiro junto com a espanhola, mas negou ter havido qualquer relação entre os dois.
  3. Em 20 de janeiro, convocado a um segundo depoimento em uma delegacia de Barcelona, quando foi preso em flagrante, o jogador alegou que a jovem praticou sexo oral nele, porém de forma consensual. O atleta mudou a versão ao ser confrontado pela polícia com imagens da boate.
  4. Em 17 de abril de 2023, já preso, Daniel Alves declarou à juíza responsável pelo caso que manteve relações sexuais consensuais com penetração (àquela altura, exames periciais haviam encontrado sêmen do jogador na espanhola). O brasileiro, que era casado com a modelo espanhola Joanna Sanz, argumentou ter mentido para ocultar uma relação extraconjugal.
  5. No dia 7 de janeiro de 2024, durante seu julgamento, ele foi interrogado pela própria advogada. Nesse depoimento, ele chorou e afirmou que bebeu excessivamente naquela noite.

 

 

 

FONTE/CRÉDITOS: Por g1
Comentários:
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!