Seu Portal de Notícias de Rondônia

Sexta-feira, 14 de Junho de 2024
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia

Economia

Desemprego de 7,5% em abril é o menor para o período em 10 anos

Desocupação atinge 8,2 milhões de pessoas, o que corresponde a uma redução de 882 mil brasileiros procurando vagas em 1 ano

Antônia Barroso de Freitas
Por Antônia Barroso de Freitas
Desemprego de 7,5% em abril é o menor para o período em 10 anos
Sérgio Lima/Poder360 - 30.abr.2021
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

fome

Homem pede ajuda no sinal de trânsito para comprar uma cesta básica, em Brasília


A taxa de desemprego do Brasil foi de 7,5% no trimestre encerrado em abril (fevereiro, março e abril). Esse foi o menor nível de desocupação para o período desde 2014, quando marcou 7,2%. O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou o resultado nesta 4ª feira (29.mai.2024). Eis a íntegra do relatório (PDF – 6 MB).



Publicidade

Leia Também:

O desemprego atinge 8,2 milhões de pessoas, segundo o IBGE. O número não teve variação estatisticamente significativa em relação ao trimestre anterior. Em 1 ano, a quantidade de pessoas que procuravam vagas no mercado de trabalho recuou 9,7%, o que corresponde a 882 mil brasileiros.

Os dados fazem parte da Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), que divulga mensalmente os dados do mercado de trabalho.

SUBUTILIZAÇÃO

A taxa de subutilização do Brasil foi de 17,4% no trimestre encerrado em abril. Não teve variação significativa frente ao trimestre encerrado em janeiro (17,6%). Caiu 1 ponto percentual ante o trimestre encerrado em abril de 2023, quando foi 18,4%.

É considerado subutilizado quem está desempregado, trabalha menos do que poderia ou não procurou emprego mesmo estando disponível para trabalhar.

No trimestre encerrado em abril, o Brasil tinha 20,1 milhões de pessoas subutilizadas. O número caiu 843 mil em 1 ano.

Dentro do grupo de subutilizados há os desalentados, que são aqueles que não procuraram emprego porque não acreditam que vão conseguir.

A população desalentada foi de 3,5 milhões. Caiu 8,3% em 1 ano, o que corresponde a 314 mil pessoas a menos nesta situação.

MERCADO DE TRABALHO

O Brasil tinha 100,8 milhões de pessoas ocupadas no trimestre encerrado em abril. O número não teve variação estatisticamente significativa em relação ao trimestre de novembro a janeiro. Em 1 ano, cresceu 2,8%, o que corresponde a 2,8 milhões de pessoas a mais.

O nível de ocupação ficou em 57,3% no trimestre. É o percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar. O percentual não teve alteração em relação ao trimestre anterior. Em 1 ano, subiu 1,1 ponto percentual.

O número de empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado (sem considerar trabalhadores domésticos) foi de 38,19 milhões. Esse foi o maior patamar da série histórica da Pnad Contínua, iniciada em 2012. Subiu 3,8% (ou mais de 1,4 milhão) em 1 ano.

O número de empregados sem carteira de trabalho assinada também foi recorde. Eram 13,6 milhões no trimestre encerrado em abril, com alta de 813 mil em 1 ano.

RENDIMENTO

O rendimento real habitual de todos os trabalhos foi de R$ 3.151. O valor ficou estável no trimestre encerrado em abril em comparação com o trimestre anterior (novembro, dezembro e janeiro). Em 1 ano, cresceu 4,7%.

A massa de rendimento real habitual somou R$ 313,1 bilhões. Esse valor é recorde para a série histórica, iniciada em 2012. Subiu 7,9% em 1 ano, o que corresponde a R$ 23 bilhões.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE/CRÉDITOS: Hamilton Ferrari
Comentários:
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!