Seu Portal de Notícias de Rondônia

Segunda-feira, 27 de Maio de 2024
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia

Mundo

População da China diminui pelo segundo ano seguido à medida que economia “tropeça”

Tendência marcou o aprofundamento de um desafio demográfico que deverá ter implicações significativas na segunda maior economia do mundo

Antônia Barroso de Freitas
Por Antônia Barroso de Freitas
População da China diminui pelo segundo ano seguido à medida que economia “tropeça”
REUTERS/Thomas Peter/Arquivo
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Pessoas assistem a ensaio de exibição de fogos de artifício perto do Estádio Nacional, em preparação para o 100º aniversário do Partido Comunista da China, em Pequim, ChinaPessoas assistem a ensaio de exibição de fogos de artifício perto do Estádio Nacional, em preparação para o 100º aniversário do Partido Comunista da China, em Pequim, China25/6/2021 REUTERS/Thomas Peter/Arquivo

 

A China relatou queda na taxa de natalidade em 2023, à medida que a sua população diminuía pelo segundo ano consecutivo. A tendência marcou o aprofundamento de um desafio demográfico que deverá ter implicações significativas na segunda maior economia do mundo.

Publicidade

Leia Também:

O país registou 6,39 nascimentos por 1.000 pessoas, abaixo dos 6,77 do ano anterior, anunciou nesta quarta-feira o Gabinete Nacional de Estatísticas (DNE) da China. A taxa de natalidade é a mais baixa desde a fundação da China comunista em 1949.

Nasceram cerca de 9,02 milhões de bebês, em comparação com 9,56 milhões de bebês em 2022. A população total caiu em 2023 para 1,409 bilhão, menos 2,08 milhões de pessoas em relação ao ano anterior, disse o departamento.

“É certo que o declínio acentuado do ano passado se deve, em parte, aos confinamentos e, muito provavelmente, os novos nascimentos irão recuperar o patamar em 2024, embora a tendência estrutural descendente permaneça inalterada”, disse Larry Hu, economista-chefe para a China do Grupo Macquarie.

A mudança demográfica do país ocorre num momento em que o seu crescimento começa a falhar. O DNE confirmou que a economia da China cresceu 5,2% no ano passado, em comparação com a meta do governo de cerca de 5%.

Embora essa expansão marque uma recuperação significativa ao longo de 2022, quando a economia da China cresceu apenas 3%, ainda é um dos piores desempenhos econômicos do país em mais de três décadas.

As ações chinesas caíram nesta quarta-feira após a divulgação dos dados. O índice Hang Seng de Hong Kong afundou 4,1% no meio da tarde, rumo ao seu nível de fechamento mais baixo desde outubro de 2022. O CSI300, que consiste em 300 principais ações listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 2,2%. Ambos os índices tiveram um ano sombrio em 2023, com queda de mais de 10% cada.

A China tem sido assolada por uma série de problemas econômicos, incluindo o êxodo de investidores e a deflação. A diminuição da população forçará agora Pequim a fazer algumas mudanças estruturais na sua economia e a remodelar sectores, incluindo os cuidados de saúde e a habitação.

Os dados desta quarta-feira não foram totalmente sombrios. No quarto trimestre, o PIB da China expandiu 5,2%, acelerando frente ao crescimento de 4,9% do terceiro trimestre. No entanto, este impulso pode não ser a longo prazo, dizem os especialistas.

“Há dois fatores principais por trás disso: a liberação inesperada, mas de curta duração, da demanda reprimida durante os feriados [do terceiro trimestre] e o baixo efeito de base do [quarto trimestre] de 2022”, disse Alfredo Montufar-Helu, chefe do Centro de Economia e Negócios da China no Conference Board.

 

 

 

FONTE/CRÉDITOS: Laura HeSimone McCarthyda CNN
Comentários:
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!