Seu Portal de Notícias de Rondônia

Quinta-feira, 18 de Julho de 2024
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia

Mundo

Rússia diz que França “já está envolvida” na guerra da Ucrânia após fala de Macron

Na quinta-feira (14), Macron disse que a Rússia que não pararia na Ucrânia se derrotasse as tropas de Kiev, instando os europeus a não serem “fracos” e se prepararem para responder

Anderson Luiz Chaves
Por Anderson Luiz Chaves
Rússia diz que França “já está envolvida” na guerra da Ucrânia após fala de Macron
REUTERS/Gonzalo Fuentes
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Presidente da França, Emmanuel Macron, em ParisPresidente da França, Emmanuel Macron, em Paris26/02/2024 REUTERS/Gonzalo Fuentes

 

Kremlin afirmou, nesta sexta-feira (15), que a França já está envolvida e agora sinaliza estar pronta para um envolvimento mais profundo na guerra na Ucrânia.

Publicidade

Leia Também:

A declaração foi uma reação à última declaração do presidente francês Emmanuel Macron sobre a possibilidade de enviar tropas para o conflito.

Na quinta-feira (14), Macron disse que a Rússia que não pararia na Ucrânia se derrotasse as tropas de Kiev, instando os europeus a não serem “fracos” e se prepararem para responder]

O presidente francês causou polêmica no mês passado ao dizer que não poderia descartar o destacamento de tropas para a Ucrânia no futuro.

Muitos líderes europeus se distanciaram dessa possibilidade, enquanto outros, especialmente do Leste Europeu, apoiaram as palavras do francês.

“Se a Rússia vencer essa guerra, a credibilidade da Europa será reduzida a zero”, afirmou Macron em entrevista na televisão, direcionada principalmente ao público francês, depois de líderes da oposição terem classificado seus comentários como belicosos.

Macron afirmou que discorda “profundamente” dos líderes da oposição. “Hoje, decidir se abster ou votar contra o apoio à Ucrânia não é votar pela paz, é escolher a derrota. É diferente”, afirmou.

O principal partido de oposição a Macron, representado pela extrema direita de Marine Le Pen, absteve-se no Parlamento de votar nesta semana sobre um acordo de segurança que Paris assinou com a Ucrânia, enquanto os esquerdistas do França Insubmissa votaram contra.

“Se a guerra se espalhar pela Europa, a Rússia é a culpada”, acrescentou. “Mas se decidirmos ser fracos, se decidirmos hoje que não precisamos responder, será escolher a derrota. E eu não faço isso.”

Ele afirmou ser importante que a Europa não sinalize fraqueza para o Kremlin, encorajando assim o avanço da invasão da Ucrânia, mas se recusou a dar detalhes de como seria o uso de tropas no país.

“Não quero fazê-lo. Quero que a Rússia pare essa guerra, recue de suas posições e permita assim a paz”, acrescentou.

“Não darei visibilidade a alguém que não está me dando nenhuma. Essa é uma pergunta para o presidente Putin. Não tenho razões para ser preciso.”

Ele afirmou que a França jamais iniciaria uma ofensiva contra a Rússia e que não está em guerra contra Moscou, apesar do fato de os russos terem lançado grandes ataques contra interesses franceses em território nacional e no exterior.

“O regime do Kremlin é um adversário”, disse, negando-se a chamá-lo de inimigo.

 

 

FONTE/CRÉDITOS: Michel Roseda Reuters em Paris
Comentários:
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!