Seu Portal de Notícias de Rondônia

Sabado, 13 de Abril de 2024
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia

Mundo

Russos vão às urnas em segundo dia de eleição; Putin deve ser reconduzido até 2030

Atual presidente deve garantir seu quinto mandato em eleição com candidatos fantoches e controle de manifestações. Líder russo está no poder desde 2000.

Dirceu Alves Santos
Por Dirceu Alves Santos
Russos vão às urnas em segundo dia de eleição; Putin deve ser reconduzido até 2030
Foto: Chingis Kondarov/Reuters
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
Homem deposita cédula com voto em urna de seção eleitoral na Grósnia, capital da Chechênia, na Rússia, no dia 16 de março de 2024 — Foto: Chingis Kondarov/Reuters

Homem deposita cédula com voto em urna de seção eleitoral na Grósnia, capital da Chechênia, na Rússia, no dia 16 de março de 2024 — Foto: Chingis Kondarov/Reuters

 

Eleitores de toda a Rússia votaram neste sábado (16), segundo dia de uma eleição marcada para formalizar mais seis anos de poder para o presidente Vladimir Putin. Ele não enfrenta adversários sérios depois de acabar com a dissidência política durante seu governo de quase um quarto de século.

Publicidade

Leia Também:

No domingo (17), o país terá o terceiro e último dia de votação. São cerca de 114 milhões de eleitores, incluindo ucranianos convocados a votar nos territórios ocupados por tropas russas.

A eleição surge no contexto de uma repressão implacável que sufocou os meios de comunicação independentes e grupos de direitos humanos proeminentes. O mais feroz inimigo de Putin, Alexei Navalny, morreu em uma prisão no Ártico em fevereiro, e outros críticos estão na prisão ou no exílio.

Putin, de 71 anos, enfrenta três rivais simbólicos de partidos amigos do Kremlin que se abstiveram de qualquer crítica a ele ou à sua invasão em grande escala da Ucrânia. Putin classificou a guerra na Ucrânia, agora no seu terceiro ano, como uma batalha existencial contra os EUA e outras potências ocidentais empenhadas em destruir a Rússia.

Manifestações nas eleições

Autoridades disseram que a votação vem ocorrendo de maneira ordenada. Apesar do controle rigoroso, pelo menos meia dúzia de casos de vandalismo nos locais de votação foram relatados na sexta e no sábado, incluindo um bombardeio incendiário e várias pessoas derramando líquido verde nas urnas. Esse último foi uma aparente homenagem a Navalny, que em 2017 foi atacado por um agressor que lhe salpicou desinfetante verde na cara.

A agência de notícias estatal russa Tass disse que uma mulher na cidade de Ekaterinburg, nos Urais, tentou, sem sucesso, jogar líquido verde em uma urna no sábado, enquanto um aposentado na região de Altai, no sul da Sibéria, tentou danificar cédulas. Ambos foram detidos.

Os legisladores russos sugeriram a introdução de uma nova lei para punir os sabotadores eleitorais com penas de até oito anos de prisão.

Antes das eleições, a Promotoria do país já havia alertado que qualquer manifestação durante o período de votação é ilegal e está sujeita a punição.

Ainda assim, a esposa de Alexei Navalny, Yulia Navalny, convocou um grande ato de protesto na capital russa no domingo.

Ataques ucranianos

Também no sábado, ataques de drones e mísseis ucranianos atingiram mais uma vez o interior do país. Tass disse que um grupo armado também tentou penetrar na região fronteiriça da Rússia vindo da Ucrânia.

Duas pessoas foram mortas no bombardeio ucraniano na cidade fronteiriça russa de Belgorod, disse o governador regional Vyacheslav Gladkov no Telegram, ordenando o fechamento de shopping centers e escolas devido à situação de segurança. Enquanto isso, as autoridades locais negaram relatos de explosões em assembleias de voto na cidade fronteiriça, disse Tass.

Dezenas de pessoas foram mortas em Belgorod desde o início da guerra.

Em outro local, um ataque de drone ucraniano causou um incêndio em uma refinaria de petróleo pertencente à empresa petrolífera russa Rosneft, na região de Samara, 1.065 quilômetros a sudeste de Moscou, disse o governador regional.

Uma pessoa foi morta e outras quatro ficaram feridas na cidade de Kakhovka, na região ilegalmente anexada de Kherson, na Ucrânia, disse o governador empossado pela Rússia, Vladimir Saldo, culpando um ataque de drone ucraniano que, segundo ele, teve como objetivo perturbar as eleições.

Anteriormente, a Tass informou que um drone ucraniano também lançou um explosivo em uma seção eleitoral na região ilegalmente anexada de Zaporizhzhia, na Ucrânia.

No período que antecedeu a votação, Putin vangloriou-se dos sucessos no campo de batalha na Ucrânia, onde as tropas russas obtiveram recentemente ganhos incrementais, confiando na sua vantagem em poder de fogo.

Na sexta-feira, Putin descreveu os bombardeamentos transfronteiriços e as incursões das forças ucranianas durante a semana como uma tentativa da Ucrânia de assustar os russos e inviabilizar a votação. Ele prometeu que os ataques “não ficarão impunes”.

Apesar dos ataques, analistas dizem que o Kremlin precisa de uma grande participação nas eleições para sinalizar que os russos aprovam a guerra e para legitimar Putin para outro mandato.

O Ministério da Defesa russo tem servido como um motor-chave de crescimento, trabalhando 24 horas por dia para produzir mísseis, tanques e munições e proteger os russos do impacto econômico da guerra – reduzindo o desemprego e aumentando os salários. A economia da Rússia durante a guerra também provou ser resiliente, expandindo-se apesar das duras sanções ocidentais.

O movimento de oposição da Rússia convocou aqueles que estão insatisfeitos com Putin ou com a guerra a comparecerem às urnas ao meio-dia de domingo, último dia de votação, como forma de protesto. A estratégia foi endossada por Navalny pouco antes de sua morte.

A votação acontece em seções eleitorais nos 11 fusos horários da Rússia, em regiões anexadas da Ucrânia e online.

Repercussão mundial

Os líderes ocidentais ridicularizaram a votação como uma farsa da democracia.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, parabenizou de forma irônica Putin na sexta-feira pela “sua vitória esmagadora” em uma eleição que tecnicamente ainda estava em curso. "Sem oposição. Sem liberdade. Sem escolha", escreveu ele na rede social X (antigo Twitter).

Para além da falta de opções para os eleitores, as possibilidades de monitoramento independente são muito limitadas. Nenhum observador internacional significativo está presente.

Apenas candidatos registrados e aprovados pelo Kremlin – ou órgãos consultivos apoiados pelo Estado – podem designar observadores para os locais de votação, diminuindo a probabilidade de existirem vigilantes independentes.

 

FONTE/CRÉDITOS: TOPO Por Associated Press
Comentários:
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!